ESPAÇO RESERVADO PARA SEUS COMENTÁRIOS SOBRE NOSSO BLOG

QUER TER DINÂMICAS E TÉCNICAS PARA TRABALHAR COM GRUPOS AO ALCANCE DE SUA MÃO? CLIQUE NO BOTÃO COMPRAR, ABAIXO DA FOTO DO LIVRO DIGITAL.
Quer fazer um elogio, crítica ou sugestão sobre o blog? :Clique aqui
Quer se cadastrar para receber nossas novidades? Envie seu e-mail, clicando aqui
(11) 5589-2211(horário comercial - das 9h as 17h30).


quinta-feira, 18 de abril de 2013

COMO TRABALHAR EMOÇÕES E ASPECTOS CORPORAIS COM ADOLESCENTES - Pergunta de Internauta

Olá! Gostei muito de conhecer o blog de vocês.
Dou oficinas numa escola e peguei duas turmas de adolescentes. Desenvolvo o tema saúde integral, emoções, corpo.. com eles.

Gostaria de sugestões de dinâmicas.

Abraços..

Gratidão!

 
Boa noite!
Explique melhor como é esse trabalho e o objetivo dele.
Abraços,
 
Oi. Então, sou mediadora num coletivo ( http://www.eulivre.com.br/p/o-projeto.html ) e estou trabalhando numa escola, onde dou oficinas para os alunos entre 13, 14 anos.
O objetivo é despertar o auto-conhecimento e trabalhar o corpo, numa forma integral: mente, corpo, emoções.
Quarta-feira será nosso segundo encontro. Semana passada, fizemos uma roda, nos apresentamos, alongamos e depois ensinei auto-massagem. Sou acostumada a trabalhar com esses temas, mas nunca lidei com adolescentes. A idéia é exteriorizar emoções, já que temos muitos alunos tímidos, retraídos (com problemas com os pais), entre outras questões.

Boa tarde!
A primeira coisa a fazer é um diagnóstico bem feito , isto é conhecer bem as necessidades, potenciais e dificuldades do grupo. Depois propiciar que eles estabeleçam entre si um  grau de confiança e respeito mútuo. Para lidar com assuntos de emoção, crescimento interior ,  lidar com o próprio corpo, principalmente adolescentes, esses aspectos são primordiais.
Precisamos tomar cuidado com esteriótipos e preconceitos. Muitas vezes nos dizem coisas sobre o grupo e encaramos como verdade absoluta. É diferente conhecer a origem do grupo, faixa etária , condição social, grau de instrução,  timidez ou não, problemas com os pais, etc.  e verdadeiramente conhecer o grupo. Antes de mais nada quando vamos lidar com um grupo, precisamos estar abertos para conhecê-lo, livre de idéias pré concebidas e dos juízos de valor que nos foram passados, anteriormente.
O diagnóstico parte do conhecimento do grupo.
Nem sempre precisamos usar dinâmicas para conhecer o grupo. Podemos, apenas conversar com eles. Lançar um assunto para que gere a discussão. Por exemplo: Como cheguei a esse grupo? Qual o objetivo de estar nesse grupo? Eu gosto de pertencer a esse grupo? Se não porque? Se sim porque? Com esses bate papos há possibilidade de cada pessoa se colocar e ao mesmo tempo sese  tornar conhecida pelo grupo, crinado  vínculos. Adolescentes, como todos nós gostamos de falar sobre nós mesmos. Só que muitas vezes não tem espaço para isso. Após essas primeiras perguntas, a partir do conteúdo que é gerado no grupo podem ser feitas outras para aprofundar o conhecimento mútuo e aproveitar para tocar em assuntos que possam clarear as dificuldades e potenciais do grupo. É certo que para alguns grupos fica mais difícil se expor e comunicar, então sugerimos dinãmica como: Caça ao Tesouro Diferente, só que colocando perguntas que ajudem aos membros do grupo se conhecerem mais e mostrar seus potenciais e dificuldades. As perguntas poderiam ser: Quem tem irmãos, quem tem pais, quem tem mais de 4 pessoas na família, quem é tímido, quem é falante, que tira nota alta em matemática, etc. Depois de feito o exercício abre-se para discussão e aí pode-se aprofundar as questões.
Depois de fazer algumas atividades para que o grupo se conheça e para que o facilitador, também os conheçam, podem ser feitas atividades para levantar as dificuldades e potenciais. Essas atividades serão originadas a partir das informações coletadas nessa fase de conhecimento mútuo.
Só a partir desse diagnóstico que as atividades propriamente ditas podem ser elaboradas. De acordo com o que o grupo precisa e quer trabalhar.
O facilitador precisa conter sua ansiedade e não querer sair aplicando dinâmicas e exercícios sem saber o que o grupo, realmente, precisa e principalmente, o que vai tocá-lo verdadeiramente.
"Gaste" um tempo para conhecer o grupo, não vai se arrepender! Em especial, quando estamos em um projeto onde temos mais prazo para trabalhar. Muitas vezes, achamos que precisamos oferecer resultados, imediatamente. Não é o caso, pois quando agimos assim podemos, fatalmente,  oferecer resultados que não levam ao crescimento do grupo. Estamos falando de uma atividade que envolve mudança interior e de valores, que envolve aceitação e conhecimento do próprio corpo. O principal é que o facilitador esteja atento às necessidades do grupo e proponha conteúdos e atividades que estejam em sintonia com ele.
As técnicas corporais de relaxamento, meditação, etc. são muito importantes, também.  pod Quando o grupo estiver maduro,  pode-se usar técnicas corporais mais avançadas e elaboradas como ajuda no fortalecimento da auto-estima e alívio do stress, por exep. com o uso do espelho.
Isso é o que pensamos. Esperamos poder ter ajudado. Quando precisar,  teremos prazer em ajudar.
Abraço,
Lilian
www.dinamicaspassopassoapasso.blogspot.com
Veja, tb: www.centrodenumerologia.com.br
www.centrodenumerologia.blogspot.com

Postagens populares