ESPAÇO RESERVADO PARA SEUS COMENTÁRIOS SOBRE NOSSO BLOG

Quer ter dinâmicas e Técnicas para Trabalhar com grupos ao alcance de sua mão? Clique no botão comprar, abaixo da foto da apostila.

Quer fazer um elogio, crítica ou sugestão sobre o blog? :Clique aqui
Quer se cadastrar para receber nossas novidades? Envie seu e-mail, clicando aqui
(11) 5589-2211 (horário comercial).

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Dinâmica - Escala de valores - Discussão sobre Valores Pessoais

OBS: Esta dinâmica é voltada para adolescentes. Brevemente, vou descrever essa mesma dinâmica, voltada para adultos. Aguardem!!
 
OBJETIVO: Propiciar que os participantes reconheçam e identifiquem seus próprios valores e reflitam a respeito deles, enfocando a importância do Ter e do Ser.
PARTICIPANTES: até 15 adolescentes, a partir de 15 anos.
TEMPO: de 1h à 1h30.
MATERIAL: Folhas de Papel sulfite, lousa, lápis ou caneta.
DESCRIÇÃO: O facilitador explica ao grupo que farão uma atividade onde poderão analisar como estão se comportando diante das várias situações da vida. Como agem diante dessas  várias situações.
DESENVOLVIMENTO:
1-    O facilitador escreve na lousa ou faz um cartaz com frases que expressem atitudes diante da vida ou algum valor e lê com o grupo cada uma delas. Expl. de frases:
Estabeleça o que é mais importante:
- Gastar todo seu dinheiro comprando esmaltes.
- Ir a uma festa e não conseguir levantar para ir à aula.
- Cuidar da irmã para que a mãe possa ir ao Supermercado.
- Buscar se espiritualizar
- Exigir que os pais comprem um tênis novo, todo mês.
- Sair com o namorado.
- Sair com os amigos e ficar até tarde.
- Ser pontual em seus compromissos.
- Ir visitar um amigo doente no hospital.
- Ter muitos amigos nas redes sociais.
- Ficar com a Família.
- Estudar para prova.
- Ir a festas.
- Ficar no computador até altas horas da madrugada.
- Fazer uma tatuagem.
- Colocar um piersing.
- Estudar no colégio do momento.
- Comprar roupas de marca.
- Viajar com a família.
- Beijar os pais.
- Brincar.
- Repartir um doce com o irmão.
- Ajudar o irmão nos deveres de casa.
- Estudar com os amigos.
- Jogar Vídeo Games
- Escrever
- Conversar
- Fazer trabalhos voluntários.
Obs: Perguntar ao grupo se teriam mais frases para colocar. Se tiverem acrescentar à
lista. É importante acrescer mais frases, pois estas vão ser mais afins com o grupo e este poderá se identificar melhor com as frases.
2-    Explicar que agora, irão estabelecer uma escala de valores baseado nessas frases, para poderemos fazer uma reflexão mais detalhada de como agimos, normalmente.
3-    Distribuir as folhas de papel-ofício entre os participantes e pedir que eles a dobrem ao meio, de maneira que terão um lado direito e outro esquerdo.
4-    A partir dessa lista de frases, pedir que coloquem em ordem de importância, as atitudes que fazem parte da sua maneira de agir no cotidiano. Em primeiro lugar o que é mais importante e assim sucessivamente, até que tenham escolhido pelo menos cinco atitudes ou comportamentos da lista. Estabelecer 5’ para essa atividade.
5-    Depois, pedir para que escrevam do lado esquerdo da folha: Quando eu era criança, para mim as coisas mais importantes eram... (Colocando, novamente em grau de importância as atitudes listadas).
6-    Pedir para que cada um leia as frases comparando, estabelecendo a diferença entre a escala de importância  que tem hoje e a que tinha quando era criança. Estabeleça 3’ para essa tarefa.
7-    Em duplas ou trios pedir aos participantes que apresentem uns aos outros suas escalas de importância e o que mudou de quando era criança para agora, comparando-as  com as dos colegas. Estabelecer, 10’ para essa atividade.
DISCUSSÃO:
Terminada essa etapa, pedir para que o grupo se disponha em círculo.
1- Coletar a escala de valores apontados por cada dupla como sendo o mais importantes (os listados no lado direito da folha) afim de  estabelecer, o que é mais importante para o grupo como um todo, no momento atual.
2- Depois, coletar os valores de quando eram crianças estabelecendo uma escala de valores para o grupo, quando eram crianças.
3 – Discutir com o grupo as diferenças ou semelhanças entre as escalas de quando crianças para o atual, perguntando:
- Houve mudanças nos valores de criança para os atuais?
- Se houve, por que as diferenças? Inclusive de uma pessoa para outra?
- Foram sinceros ao estabelecer os valores, ou pensaram no que os outros ou a sociedade acharia mais “certo”.
- Nossas atitudes são calcadas em quê? Levar ao grupo a perceber que nossas atitudes são baseadas em que acreditamos, em nossos valores. Que podem ser aprendidos ou já nascemos com eles.
- Como estabelecemos nossas escala de valores? O que nos influencia para estabelecermos nossos valores?
- Quais os fatores que contribuem para que mudemos nossos valores?
- Que fatores contribuíram para que mudassem de valores.
- Que tipo de sociedade e vida em grupo os valores apresentados tendem a construir.
- Ás vezes agimos de uma forma, sem saber porque? O que precisamos fazer para perceber nossos comportamentos automáticos? Levar o grupo a perceber que precisamos analisar nossos comportamentos. Perguntarmo-nos porque estamos agindo de determinada maneira. É o que realmente acreditamos?
- Como podemos nos conhecer melhor?
CONCLUSÕES:
Levar o grupo a concluir:

1. É importante nos percebermos como pessoas que são capazes de mudar. Nossos questionamentos e relacionamentos nos levam a isso. Que quando crianças, temos mais influência das crenças de nossos pais e professores, mas que a partir do momento que vamos nos desenvolvendo e individualizando nossos valores tendem a ser mais pessoais, baseados em que realmente acreditamos.
2. É possível haver uma verdadeira inversão de valores entre a infância e o momento atual. Pois de acordo com nossas experiências e vivências podemos ir construindo nossos valores.
3. Que quando somos adolescentes, por exemplo, temos necessidade de contestação, e busca permanente de autoafirmação e diferenciação da família ou dos pais;
4. Que valores passados pela mídia podem nos influenciar no sentido de consumirmos sem precisarmos. Ou de buscar pertencer ao grupo e não ser diferente.
5. Que muitas vezes, somos voltados para Ter e não Ser. Que por vezes até agimos de forma justa, mas não por isso somos pessoas justas. Aristóteles dizia: Aquele que pratica atos justos não necessariamente é um “Homem justo” ou um “Homem bom” por si só. “O Homem bom é, por si mesmo, independente da sociedade, completo em sua interioridade: a justiça lhe é uma virtude vivida, por meio da ação voluntária”. A moral obedece às regras, a ética possui seus próprios princípios.
6. Que temos valores extrínsecos e intrínsecos. Os extrínsecos são adequações de demandas e regras da sociedade e podem durar tanto quanto os objetivos pelos quais foram gerados permaneça. Já, os valores intrínsecos, são baseados no Ser, formados a partir do que é ser bom ou ético, de nossos valores positivos. Aquele que possui valores intrínsecos tem maior chance de resistir a atribulações que a vida trás. Já quem tem valores extrínsecos é presa fácil dos problemas, pois sua estrutura moral e ética não é sólida, causando desespero e solidão.
7. Que estamos nessa vida para termos coisas, precisamos nos manter, mas “Não só de Pão vive o Homem”. Nossos valores positivos é que nos tornarão pessoas melhores.
O INSTRUTOR/FACILITADOR PRECISA ESTAR ATENTO PARA:
   - O grupo se relacione de modo respeitoso e cooperativo.
   - Perceber e ajudar qualquer participante que apresente dificuldade em estabelecer seus valores ou que perceba em si algum valor que não aprovar em si mesmo ou que não for aprovado pelo grupo.
 
Essa dinâmica foi baseada na dinâmica de mesmo nome de Susan Chiode Perpétuo e Ana Maria Gonçalves, autoras do livro “Dinâmica de Grupos na Formação de Lideranças”, editora DPeA.
 
Você tem alguma sugestão para aperfeiçoar essa dinâmica.
Faça um comentário ou mande um e-mail:

Lilian
http://www.dinamicaspassoapasso.blogspot.com/
Acesse também: www.centrodenumerologia.com.br
                           
www.centrodenumerologia.blogspot.com

Postagens populares