ESPAÇO RESERVADO PARA SEUS COMENTÁRIOS SOBRE NOSSO BLOG

QUER TER DINÂMICAS E TÉCNICAS PARA TRABALHAR COM GRUPOS AO ALCANCE DE SUA MÃO? CLIQUE NO BOTÃO COMPRAR, ABAIXO DA FOTO DO LIVRO DIGITAL.
Quer fazer um elogio, crítica ou sugestão sobre o blog? :Clique aqui
Quer se cadastrar para receber nossas novidades? Envie seu e-mail, clicando aqui
(11) 5589-2211(horário comercial - das 9h as 17h30).


sexta-feira, 8 de abril de 2011

Dinâmica Para Auto-Conhecimento e Conhecimento Mútuo

DINÂMICA – Trocando Impressões.

PARTICIPANTES: até 15 pessoas
OBJETIVO: Autoconhecimento, conhecimento e ajuda mútua, aprender a conviver em grupo respeitando as diferenças individuais, fortalecimento de vículos.
TEMPO: de 1h a 1h30 (varia de acordo com a quantidade de participantes).
MATERIAL: - 3 jogos com cartelas com os dizeres descritos abaixo de cor vermelha.
                     - Vários jogos de cartelas com os dizeres abaixo em cor azul ou preta.
                    Envelopes para serem depósitadas as características.
DIZERES DAS CARTELAS: Inteligente, chato(a), esforçado(a), bonito(a), charmoso(a), duas caras, mentiroso(a), hostil, estudioso(a), “louco(a)”, tranquilo(a), amoroso(a), bagunceiro(a),desligado(a), amigo(a), companheiro(a), colaborador(a), tagarela, desinibido(a), calmo(a), agitado(a), atrevido(a), brincalhão(a), elegante, tímido(a), briguento(a), otimista, pessimista, reclamão(a), esperto(a), calmo(a), leal, frágil, “chorão(a)”, “nariz empinado”, medroso(a), folgado(a), fingido(a), carinhoso(a), alegre, etc.
DESCRIÇÃO: O coordenador explica ao grupo que farão uma atividade que propiciará conhecer melhor a cada um dos membros do grupo e a si mesmos.
Dirá que como é uma atividade em que serão expostas características pessoais é necessário que seja encarada de maneira responsável e respeitosa. A idéia é o autoconhecimento e não a crítica pura e simples.
Tudo que é dito com consideração e buscando o crescimento leva ao aprimoramento pessoal.
É uma atividade que precisa ser conduzida com maturidade e respeito, pois afeta os sentimentos e auto-estima de  todos os participantes.
PROCESSO:
1-     Dizer que, para iniciar, cada um escolhe-rá uma característica que defina a si próprio (Jogos de cartelas vermelhas).
2-     Distribuir um envelope para cada pessoa do grupo e dizer que as características serão depositadas neles.
3-     Entregar os jogos para 3 dos participantes e pedir para que após escolherem sua característica e depositá-la em seu envelope, sem mostrar para as outras pessoas, devem  ir passando as cartelas para que os outros participantes escolham suas características.
4-     Quando todos tiverem escolhido a característica que mais define a si próprio e depositado cada um em seu próprio envelope, recolher as cartelas vermelhas.
5-     Dizer que agora irão passar para a fase em que cada um deverá escolher uma característica para cada membro do grupo e depositar no envelope dessa pessoa. Salientar que ninguém pode ver a característica que foi depositada. Para tanto, distribuir os vários jogos de cartelas pretas ou azuis. Pedir que assim que a pessoa tiver escolhido uma característica para cada um do grupo e depositado em seus respectivos envelopes passar para quem não escolheu para que esse possa fazer esse trabalho também.
6-     Quando todos tiverem completado a tarefa, pedir para que cada um aguarde com seu envelope fechado até seja solicitada sua abertura pelo facilitador.
7-     O facilitador pedirá para que cada um, a sua hora, abra seu envelope e leia, primeiro a característica que escolheu para si (cartela vermelha), depois as características atribuídas pelo grupo para si ( cartelas pretas ou azuis).
Obs: O facilitador vai listando na lousa ou flip as características que a pessoa ler em seu envelope.
           Perguntando a cada um:
          . Por que se atribuiu tal característica.
          . Concorda com as características atribuídas pelo grupo? Por que?
          . Surpreendeu-se com alguma característica atribuída?
          - O facilitador pode fazer uma análise das repetições de características dadas àquela pessoa a fim de amenizar discrepâncias.

8-     Ao final da fase em que todos leram o conteúdo de seu envelope o facilitador deve perguntar ao grupo:
 - O que acharam da atividade.
      - Como se sentiram durante a atividade.

CONCLUSÃO: Para concluir fazer uma explanação sobre a Teoria da Janela de Johari, explicando como as pessoas se comportam perante si e as outras nos relacionamentos humanos. Enfatizando que, para que a pessoa se conheça e com isso possa se relacionar melhor há necessidade de ampliar sua janela aberta. Dizer que só conseguirá isso recebendo e dando feedback (isto é, dando e recebendo informações e impressões de, e para outros). Texto de Apoio -  Janela de Johari, abaixo.

O INSTRUTOR/FACILITADOR PRECISA ESTAR ATENTO PARA:
      - O grupo se envolveu na atividade?
- Levar em consideração e destacar se houveram pessoas que apontaram características de desvalorização ou supervalorização de si próprias e tentar trabalhar esses aspectos, comparando com as características atribuídas a ela.
- Trabalhar possíveis problemas de baixa autoestima e de prepotência.
- Com todas essas observações, tentar perceber necessidades que precisam ser trabalhadas para que o grupo se desenvolva e integre mais.

 

TEXTO  DE APOIO – JANELA DE JOHARI


A Janela de Johari é um modelo criado por Joseph Luft e Harrington Ingham em 1955, que visa mostrar nosso grau de auto conhecimento e como nos relacionamos, tendo como base a forma como é feita nossa comunicação interpessoal.  Isso é, as várias maneiras como nos relacionamos.

Eles dividem as áreas ou janelas para mostrar como nos relacionamos em 4 áreas ou janelas:

A janela 1 - Área Aberta - Onde está tudo que é conhecido por mim e pelos outros.
A janela 2 - Área Cega -  Onde está tudo que os outros conhecem, mas eu não conheço. Por expl. As pessoas podem me achar antipático, mas eu não percebo isso e não entendo porque as pessoas se afastam de mim.
A janela 3 - Área Secreta - Onde guardo informações sobre mim que só eu conheço.
A janela 4 - Área Desconhecida – Onde estão meus medos, informações de meu inconsciente.

Essas janelas podem variar de tamanho de acordo com o relacionamento que estou analisando. Por expl.: se estou analisando meu relacionamento com uma pessoa cujo meus laços são estreitos, mãe, pai, parceiros, etc. A tendência é que minha janela Aberta seja ampliada, reduzindo as outras áreas.
O fato é que quanto mais eu me expuser, receber e/ou der feedbacks, a tendência é que minha janela aberta se amplie e com isso facilite meus relacionamentos. Pois, quanto mais eu tenho dados sobre mim mesmo e as pessoas conhecerem esses dados, menos riscos de conflitos haverá.

Para se aprofundar consulte: Janela de Johari – Exercício Vivenciais de Dinâmica de Grupo - Fritzen, Silvino Jose. Editora VOZES.

Lilian Bendilatti

Conheça também:

Você tem alguma sugestão para aperfeiçoar essa dinâmica.
Faça um comentário ou
mande um e-mail: dinamicaspassoapasso@gmail.com

Postagens populares